Por Favor aguarde...
Ambiente
Imprimir    

Árctico em risco, mas a recuperar. Será?

Árctico em risco, mas a recuperar. Será?

Depois de atingir o terceiro mínimo de sempre, o Árctico já começou a recuperar.



Na última semana, a área de placa de gelo do Árctico encolheu até ao seu máximo, alcançando assim o terceiro mínimo de sempre desde que se regista este fenómeno.

A placa cobria 5,10 milhões de quilómetros quadrados de oceano, metade da área do continente Europeu, mas atingiu agora os 4,1milhoes de quilómetros quadrados, o mínimo, registado em 2007.

Os cientistas alertaram para o tamanho da área do gelo, que foi 24% menor que a média obtida entre 1979 e 2000. No entanto, os cientistas, do Centro de Informação da Neve e do Gelo, revelam que as “condições de nebulosidade e zonas de baixas pressões" a que presenciamos no final do Verão "provavelmente ajudaram a que as temperaturas mantivessem-se mais baixas”.

Assim, estamos num bom caminho, porque, se a temperatura se mantiver um ou dois graus abaixo das temperaturas de 2007, como aconteceu o ano passado e este, o gelo poderá se reconstituir. O que preocupa os cientistas é que este gelo é muito recente e por isso, à mais pequena alteração, pode derreter muito mais facilmente.

No entanto, alertam: “Se acontecer mais um quente como foi o de 2007, o gelo vai mesmo desaparecer”. E as probabilidades apontam nesse sentido.


21-09-2009

 

Fechar